emprego em angola

Tchizé investe 25 milhões de dólares para abertura
do seu próprio banco
12 março 2015 .
Lisboa – Um grupo restrito, na qual se destaca a
deputada Welvitcha José dos Santos “Tchizé”,
constituiu no dia 12 de Março de 2014, uma
sociedade anónima denominada “Banco Prestigio”,
cujo capital social é equivalente a 25, 555 399, 19
(Vinte e Cinco milhões e quinhentos e cinquenta e
um mil trezentos e noventa e nove mil e dezanove
cêntimos de dólares dos Estados Unidos da
América)
Fonte: Club-k.net
O PCA deverá ser o seu irmão Tito Mendonça
Apesar de não ter ainda iniciado as suas
actividades bancarias de acesso ao publico, o
“Banco Prestigio” encontra-se em fase “já
avançada” quanto ao processo de constituição e
registo especial junto do Banco Nacional de Angola
(BNA), a entidade estatal que emite a licenças aos
bancos comerciais. Após a autorização pelo BNA,
os accionistas do banco deverão dirigir se ao BNA
com uma petição de abertura de agências e dos
respectivos balcões.
A administração do “Banco Prestigio” - que tem a
sua sede social a Rua Rainha Ginga, em Luanda -
será exercida, por um Conselho composto por um
numero impar, no mínimo 3 e no máximo 9
membros residentes, eleitos pela Assembleia Geral,
de entre accionistas ou estranhos.
O Conselho de Administração terá um PCA não
executivo que por decisão de Tchizé dos Santos
deverá ser o bancário Tito Luís Perdigão Abrantes
Zuzarte de Mendonça “Tilucho”, seu irmão pela
parte materna. O mesmo será coadjuvado por um
Vice-Presidente não executivo.
A gestão dos negócios correntes do “Banco
Prestigio” será desempenhada por uma comissão
executiva composta por 3 a 7 membros de entre
os membros do Conselho de Administração cujo
modo de funcionamento ela própria aprovara. De
acordo com dados plausíveis, o Presidente da
Comissão Executiva (PCE), deverá ser Carlos
Rodrigues, ex- Vice-Presidente do Banco de
Negócios Internacionais (BNI).
O “Banco Prestigio” deverá ser o primeiro projecto
bancário em que Tchizé dos Santos entra como
acionista desde a sua fase de fundação. Há cerca
de seis anos atrás, a também filha do Presidente
José Eduardo dos Santos, esteve ligada como
sócia, a banco BNI, cujas ações de 13%, teria se
desfeito por razões nunca explicadas.
Na altura, insistentes rumores nunca confirmados
insinuavam que Tchizé dos Santos saiu do BNI em
retaliação a administração por não ter atendido, a
um pedido seu, que determinaria a criação de uma
vice-presidência para acomodar o seu irmão, Tito
Mendonça “Tilucho”, então funcionário do BDA